Ex Pastor Anglicano de Gravatá foi encontrado morto na saída de Águas Lindas de Goiás

 Segundo a família, ele morava em Jundiaí, SP, e estava viajando para o Rio.Corpo tinha golpes de faca; polícia achou eletrodomésticos no carro dele.

600x300hsdgfgfggfgy

600x300ffkjhkfjdhfjfhfht

O corpo de um pastor anglicano de 48 anos, nascido no Chile, foi encontrado na terça-feira (19), com marcas de golpes de faca em frente a uma fazenda em Águas Lindas de Goiás, no Entorno do Distrito Federal, a 193 km de Goiânia. O missionário morava com a mulher e dois filhos em Jundiaí, interior de São Paulo, desde 2001. A esposa dele informou à polícia que o marido participava de missões por todo o país e que estava viajando para o Rio de Janeiro.
O delegado Fernando Gama, responsável pelo caso, disse que a polícia chegou ao corpo depois de uma denúncia anônima e que o cadáver já estava em estado de decomposição. O principal foco da investigação é saber por que o pastor desviou sua rota e foi parar na cidade goiana.

“Contatamos a esposa dele e ela confirmou que ele viajava bastante, mas ficou surpresa em saber que ele estava em Águas Lindas”, afirmou o delegado.

Ainda de acordo com Fernando Gama, a mulher do missionário informou que o marido saiu de casa de casa no dia 13 deste mês. No dia seguinte, ele teria enviado uma mensagem de texto para a esposa. “Ela disse que ficou preocupada depois de receber a mensagem, mas afirmou que só iria revelar o conteúdo da mesma quando chegasse à cidade, provavelmente nesta quinta-feira (21)”, conta.

O corpo do pastor foi levado para o Instituto Médico Legal (IML) de Luziânia, onde espera os familiares para fazerem o reconhecimento.

O carro do pastor, um Citroen Picasso de cor prata, foi encontrado a poucos metros do corpo com três portas abertas. O veículo estava lotado de objetos e documentos, uma mala cheia de roupas, uma Bíblia e vários eletrodomésticos, entre eles, uma televisão, um computador, uma cafeteira e até um frigobar.

Apesar dos pertences no carro, a polícia não descarta a possibilidade de latrocínio, que é o roubo seguido de morte. Marcas de sangue no veículo, segundo o delegado, podem indicar que o pastor entrou em luta corporal com os criminosos. A possibilidade de homicídio é a outra linha de investigação.

 

Fonte: TVCMN